T r a d i ç ã o   do   S o l   e  da    L u a  

         
                       Tem sido feita muita confusão a respeito da Tradição do Sol e a Tradição da Lua, e o que mais se vê  são pessoas falando a respeito sem ter a mínima noção do que estão dizendo, o que só serve para criar mais confusão entre os leigos e os profanos.
                       Para que essa confusão não aumente ainda mais, explicarei o que são, de forma geral, sem nos perdermos em detalhamentos demorados.
                       Em primeiro lugar, um equívoco se popularizou e se tornou corrente : os nomes Tradição do Sol e Tradição da Lua  NÃO SÃO os nomes corretos.  Os nomes corretos são  Tradição da Pomba (Sol)  e  Tradição da Serpente  (Lua).
                       Deve ficar claro que ambas as Tradições Iniciáticas fazem parte de um mesmo Caminho.  Os métodos de cada uma são diferentes, mas elas se complementam e não divergem em ponto algum. Ocasionalmente encontramos pseudo-magistas que alegam seguir uma dessas tradições e fazem descaso da outra, como se aquela que é diferente da sua fosse de segunda classe. O que pensa assim nem é magista, é a folclórica figura do leigo praticante, o que a Ordem de Arganthus costuma se referir como  profano operacional.
                       As pessoas confundem esses nomes.  Particularmente acho que uma forma bem eficiente de gravar um nome é através dos símbolos , porque as imagens, em um sentido mnemônico, podem ser gravadas  (e lembradas) com muito mais eficiência que as palavras.
                       Para que você  possa memorizar os nomes, fiz esta tabela :

     
       

          =  
                    =  

                    

                        Mas, o que diferencia  as duas Tradições ?

                        A Tradição da Pomba :   ( Sol ) é o sistema padrão, é o aprendizado paulatino e contínuo, ao longo de etapas. É o Caminho mais tradicional, o aprendizado através do sistema Mestre-Discípulo.  É onde se aprende aos poucos, à custa de estudo, esforço intelectual e experimentação prática.  A pessoa recebe o Chamado, desenvolve interesse intenso pela Magia, estuda e se prepara muito até que o Mestre aparece e a conduz a etapas mais elevadas.

                        A Tradição da Serpente :  ( Lua a palavra-chave aqui é Intuição.  Da Tradição da Serpente são todos aqueles que tem revelações, aprendem por intuição, são o que se costuma dizer que tem a Magia no sangue. Tem um compromisso com a Magia, de tal forma forte que trazem de existências anteriores parte do conhecimento, que então se manifesta nesta existência atual.    

                        Normalmente a Tradição da Serpente precisará ser complementada pela Tradição da Pomba, pois apenas a Intuição e a revelação não podem ser tudo o que se constituirá no sistema mágico a que determinada pessoa seguirá, e é inconcebível a idéia de um magista intuitivo sem base de estudos.  Muitas operações são precisas demais, há ritos que tem de ser fielmente observados, há procedimentos que tem de ser minuciosamente seguidos, e esses detalhes não vêm por intuição. A Magia é uma Ciência.
                        Da mesma forma, mas em sentido inverso, na Tradição da Pomba toda a instrução e o treinamento irão desenvolver a intuição, o que abrirá as portas da Revelação. O magista propriamente dito tem de ser erudito e intuitivo simultaneamente, de forma que a ausência de uma dessas partes sempre o deixará incompleto. O símbolo Oroboros , a serpente que morde a própria cauda, até pode ser usado para ilustrar essa situação, onde os sistemas se complementam e onde um leva ao outro, não importa por qual deles se inicie a Senda.  Todo Iniciado passará por ambas.

            
 

      PARA  O  INDICE